Efe
Efe

Fujimori é condenado a mais seis anos de prisão no Peru

Ex-presidente era acusado por suborno e espionagem e assumiu a autoria dos delitos

Reuters,

30 de setembro de 2009 | 14h32

O ex-presidente do Peru Alberto Fujimori, foi condenado nesta quarta-feira, 30, a seis anos de prisão por suborno e espionagem telefônica sobre seus opositores. A sentença foi anunciada logo depois o ex-líder admitir ter cometido os crimes deste que é seu último processo judicial.

 

Foi a quarta sentença contra Fujimori, a maior delas de 25 anos de prisão, imposta em abril, pela morte de 25 pessoas, em matanças cometidas por um esquadrão da morte em seu governo entre 1991 e 1992. Segundo a lei peruana, as sentenças não são cumulativas e cumpre-se apenas a condenação maior.

 

A corte determinou que Fujimori é culpado por peculato, corrupção ativa e violação dos segredos de comunicações. A penas imposta é de seis anos, além de dois anos em que ele não poderá exercer cargos públicos. Além disso, terá que indenizar o Estado em 3 milhões de sois (US$ 1 milhão).

 

O ex-mandatário recebeu a sentença aparentemente tranquilo, já que havia aceitado as acusações, fazendo com que o julgamento terminasse de forma antecipada. Para analistas, Fujimori evitou assim a exposição pública de suas acusações para proteger sua herdeira política, a parlamentar Keiko Fujimori, anunciada como sua candidata presidencial às eleições de 2011.

 

Keiko, que aparece entre as favoritas nas pesquisas de intenção de voto, afirmou anteriormente que poderia inocentar seu pai se fosse eleita presidente.

 

Após a sentença, Fujimori, que disse não confiar na justiça local, pediu a anulação do processo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.