Fujimori e Humala aparecem em empate técnico em eleição no Peru

A legisladora de direita Keiko Fujimori e o nacionalista de esquerda Ollanta Humala aparecem num empate técnico para o segundo turno da eleição presidencial peruana, marcado para 5 de junho, mostraram no domingo pesquisas dos institutos Ipsos Apoyo e Datum.

CAROLINE STAUFFER, REUTERS

09 de maio de 2011 | 09h37

O índice da bolsa de valores do Peru fechou em alta de 5,5 por cento na sexta-feira, com traders apostando que Fujimori, preferida pelos investidores, ultrapassaria Humala pela primeira vez nas pesquisas, o que de fato aconteceu em um dos levantamentos.

A pesquisa nacional do Ipsos Apoyo mostrou Fujimori com 41 por cento, enquanto Humala tem 39 por cento. A diferença de dois pontos a favor da filha do ex-presidente Alberto Fujimori está dentro da margem de erro da sondagem, de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

A pesquisa do Datum deu a Humala, um ex-oficial do Exército, 40 por cento, contra 39,1 por cento de Fujimori. A pesquisa nacional entrevistou 5.010 eleitores, a maior amostragem de qualquer sondagem feita no segundo turno até aqui, e tem margem de erro de 1,4 ponto percentual para mais ou para menos.

A pesquisa anterior do Datum mostrava Humala com 41,5 por cento, contra 40,3 por cento de Fujimori.

Humala tem moderado seu discurso desde a apertada derrota na eleição presidencial de 2006 e prometeu manter as atuais políticas econômicas em um dos países que mais crescem no mundo.

Mas as pesquisas mostram que muitos eleitores continuam acreditando que ele acabará com duas décadas de reformas de livre mercado e nacionalizará importantes indústrias caso eleito.

Humala recentemente foi atacado pela imprensa local pelas discrepâncias entre seus comentários moderados em público e sua plataforma oficial de campanha, que sugere que muitos acordos comerciais do Peru devem ser renegociados.

"(Fujimori) começou a avançar como resultado dos questionamentos sobre o plano de governo de Humala", afirmou o diretor do Ipsos Apoyo, Alfredo Torres, a uma emissora de televisão.

Fujimori, que tem 35 anos, finalizou oito pontos percentuais atrás de Humala no primeiro turno, em 10 de abril. Ela está tentando se distanciar da imagem do pai, que é acusado de corrupção e violação dos direitos humanos.

Ambos os candidatos tentam agradar os eleitores moderados, que decidirão a eleição.

A pesquisa do Ipsos Apoyo entrevistou 1.994 pessoas entre 30 de abril e 6 de maio, e mostrou que 20 por cento dos eleitores ainda estão indecisos ou não planejam votar em candidato algum. A pesquisa do Datum, feita de 1o a 6 de maio, teve 20,9 por cento de eleitores nessa situação.

(Reportagem de Caroline Stauffer)

Tudo o que sabemos sobre:
PERUFUJIMORIFRENTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.