Fujimori é novamente condenado em último processo no Peru

O ex-presidente peruano, Alberto Fujimori, foi condenado nesta quarta-feira a seis anos de prisão pelas acusações de suborno e espionagem telefônica a opositores, após ter admitido os crimes no que foi o último processo judicial pelo qual foi extraditado do Chile.

MARCO AQUINO, REUTERS

30 de setembro de 2009 | 15h08

Fujimori, de 71 anos, já foi condenado a 25 anos de prisão acusado de violar os direitos humanos em uma guerra suja entre militares e guerrilheiros esquerdistas no início de seu governo na década de 1990.

Segundo as leis locais, as sentenças no Peru não são cumulativas e cumpre-se apenas a condenação maior.

O ex-presidente recebeu a condenação aparentemente de forma tranquila pois já havia admitido os crimes, o que antecipou o fim do processo sem a apresentação de dezenas de testemunhas.

Para analistas, o ex-presidente evitou a exposição pública das acusações que pesavam contra ele, para proteger sua herdeira política, Keiko Fujimori, cogitada como candidata à Presidência para as eleições de 2011.

Keiko Fujimori, que se encontra entre os favoritos nas pesquisas de intenção de votos, afirmou anteriormente que poderia dar um indulto ao seu pai se eleita presidente.

Após a sentença, Fujimori, que havia afirmado não confiar na justiça local, pediu a anulação do processo, no qual foi pedido uma condenação de oito anos.

Tudo o que sabemos sobre:
PERUFUJIMORICONDENA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.