Fujimori recorre de sentença; filha prepara campanha eleitoral

Ex-líder peruano foi condenado a 25 anos de prisão por violações a direitos humanos; Keiko concorrerá em 2011

Reuters,

23 de abril de 2009 | 20h25

O ex-presidente peruano Alberto Fujimori apresentou nesta quinta-feira, 23, um recurso contra a sua recente condenação por violações a direitos humanos, enquanto sua filha Keiko continua os preparativos para se candidatar a presidente em 2011. A Suprema Corte peruana condenou Fujimori neste mês a 25 anos de prisão, considerando-o mandante de duas chacinas. É a primeira vez que um ex-presidente democraticamente eleito da América Latina é condenado por abusos desse tipo em seu próprio país.

 

Veja também:

linkFilha de Fujimori lidera corrida presidencial

linkManifestação leva dois mil fujimoristas às ruas no Peru

Fujimori, 70 anos, diz reiteradamente ser inocente dos crimes cometidos por grupos paramilitares durante o seu governo (1990-2000), marcado pelo combate ao grupo maoísta Sendero Luminoso. "Neste recurso, pedimos em primeiro lugar que a sentença seja derrubada e, alternativamente, que o presidente Fujimori seja absolvido", disse o advogado César Nakazaki a jornalistas na sede do Judiciário em Lima.

Ele não descartou a hipótese de levar o recurso à Corte Interamericana de Direitos Humanos, caso a Suprema Corte local rejeite a sua petição. Fujimori mantém intacta parte da sua popularidade e a transfere para Keiko, que já é deputada e lidera as pesquisas para 2011, praticamente empatada com o ex-militar nacionalista Ollanta Humala, que quase venceu o pleito de 2006.

Ela diz que, se eleita, concederá indulto ao pai, visto por muitos como um herói por ter controlado a economia do país e praticamente derrotado o Sendero. Críticos dizem, no entanto, que para isso ele pisoteou os direitos humanos.

Tudo o que sabemos sobre:
PeruFujimori

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.