Funcionário que permitiu reabertura de mina no Chile renuncia

Há suspeitas de pagamento de suborno para reabrir mina onde 33 trabalhadores estão presos

Efe,

30 de agosto de 2010 | 21h02

Homens trabalham em buraco pelo qual mineiros serão resgatados

 

SANTIAGO- O secretário do Ministério da Saúde do Chile na região do Atacama renunciou nesta segunda-feira, 30, supostamente por sua responsabilidade na reabertura da mina San José, onde 33 mineiros estão presos desde 5 de agosto após o desabamento do local.

 

Segundo fontes oficiais, Raúl Martínez Guzmán assinou a resolução que permitiu a reabertura da mina em 28 de julho. Ela havia sido fechada em 3 de julho, após um acidente no qual um mineiro teve uma perna amputada.

 

Segundo Roberto Valdés, um dos advogados que representa as famílias dos mineiros presos, a mineradora San Esteban, proprietária da mina, pode ter pago suborno às autoridades para a reabertura do local sem as devidas condições de segurança.

 

O procurador regional de Atacama, Héctor Mella, solicitou ao tribunal de Caldera que dite uma ordem de prisão contra de prisão contra Marcelo Kemeny e Alejandro Bohn, os donos da mina, para evitar que saiam do país enquanto se investiga sua responsabilidade no acidente, informaram fontes judiciais.

 

 

Enquanto isso, as equipes de resgate começaram nesta segunda a escavação de um duto para salvar os 33 trabalhadores, operação que segue por ao menos mais três ou quatro meses, segundo o governo chileno.

 

Drama

 

Os mineiros estão presos em um refúgio a 688 metros da superfície após o colapso na mina. Os 33 sobreviveram por 19 dias com uma dieta racionada de duas colheres de atum enlatado, um gole de leite e meio biscoito a cada 48 horas.

 

O único canal de comunicação com o exterior tem 15 centímetros de diâmetro. É por lá que as equipes de resgate começaram a enviar soro e rações de proteína e glicose, semelhantes às consumidas por astronautas. Dentro da mina, os mineiros contam com acesso à água e canais de ventilação.

 

O resgate será feito por uma perfuradora que abrirá caminho no solo. Andres Sougarret, chefe da operação, afirmou que o período para abrir um túnel largo o bastante para a passagem segura dos homens pode levar até quatro meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.