Funcionários americanos se reunirão com parentes de presos cubanos

20 familiares de prisioneiros de consciência devem participar de encontro na terça-feira

estadão.com.br

19 de julho de 2010 | 13h06

A missão diplomática dos EUA em Cuba marcou uma reunião com familiares de presos políticos que descartam emigrar para a Espanha para a próxima terça-feira, 20. Membros da Igreja Católica e da embaixada espanhola também participarão do encontro.

Veja também:

blog Fariñas: 'Temos de aproveitar a janela'

especialEntenda a crise dos presos políticos de Cuba

lista Veja lista dos 52 presos políticos

A missão diplomática dos EUA em Cuba marcou uma reunião com familiares de presos políticos que descartam emigrar para a Espanha para a próxima terça-feira, 20. Membros da Igreja Católica e da embaixada espanhola também participarão do encontro.

"O que sabemos é que um representante de cada preso foi contactado", disse Laura Pollán, líder das Damas de Branco, um grupo de familiares de dissidentes políticos cubanos, à agência France Presse. A reunião está marcada para as 14h de Brasília.

Ainda segundo Laura Pollán, esposa de Héctor Maseda, que cumpre uma pena de 20 anos de prisão, cerca de 20 parentes dos dissidentes devem ir à reunião.

Quatro presos políticos já foram libertados e enviados para a Espanha após, um acordo mediado pela igreja e o governo Raúl Castro. Ao todo, 52 dos 75 detidos de consciência condenados em 2003 devem ser libertados.

Tudo o que sabemos sobre:
Cubapresos políticosdissidentes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.