Funcionários da mina San José exigem pagamento de salários ao governo

Sem emprego, trabalhadores cobram promessa de Piñera feita durante resgate dos mineiros

Efe,

12 de novembro de 2010 | 20h40

SANTIAGO- Vários ex-funcionários da mina San José, de onde foram resgatados os 33 mineiros que ficaram mais de dois meses soterrados, entregaram nesta sexta-feira, 12, uma carta na qual exigem o pagamento de seus salários ao governo do Chile.

 

Veja também:

linkSaiba quem são os mineiros chilenos

linkOs piores acidentes em minas

 

Javier Castillo, presidente da Central Unitária de Trabalhadores regional (CUT), que acompanhou os mineiros na entrega da missiva, disse a jornalistas que eles vieram cobrar a palavra dada pelo presidente Sebastián Piñera.

 

Castillo recordou que durante o tempo que durou o resgate dos 33 mineradores, o governante chileno se comprometeu "a não deixar ninguém só", em alusão aos demais trabalhadores da mina, que ficaram sem emprego após o desabamento do local.

 

O encarregado de conflitos da CUT, Cristian Cuevas, disse que o governo deve entregar uma solução em breve para os trabalhadores que não conseguiram encontrar um novo emprego.

 

"O Executivo lucrou com o resgate dos mineiros e agora é hora de que termine com o drama dos funcionários que ainda continuam sem trabalho", declarou Cuevas.

Tudo o que sabemos sobre:
San JosémineirosminaAtacamaChile

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.