Reprodução/NHC
Reprodução/NHC

Furacão da categoria 4 ameaça o noroeste do México

Governo estabelece zona de alerta na Baixa Califórnia Sul; região deve ser atingida nesta terça-feira

31 de agosto de 2009 | 11h05

O furacão Jimena, que está na perigosa categoria 4 (numa escala até 5), ameaça chegar nesta terça-feira, 1, a balneários da península da Baixa Califórnia, no noroeste do México, segundo o Centro Nacional de Furacões (CNF) dos EUA. O governo mexicano colocou o sul da Baixa Califórnia em alerta durante um período de 36 horas.

 

Jimena ocupa uma área relativamente pequena, mas se intensificou rapidamente desde que se formou, na madrugada de sábado. Ele tem ventos regulares de 230 quilômetros por hora e rajadas ainda mais fortes. Os furacões da categoria 4 na escala Saffir-Simpson são considerados "extremamente perigosos" e podem provocar enormes prejuízos se alcançarem a terra.

 

Por enquanto, o Jimena está longe da costa, mas ainda deve ganhar fôlego, passando pelo sofisticado balneário de Los Cabos na terça-feira, quando a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) deveria realizar um encontro para discutir a questão dos paraísos fiscais. Ainda não se sabe se o encontro será mantido.

 

Até o anoitecer de domingo, o tempo na Baixa Califórnia era bom, com uma suave brisa. Mesmo assim, norte-americanos que vivem em Los Cabos começaram a estocar mantimentos e a comprar gasolina para seus carros e geradores. Alguns turistas disseram que pretendiam abreviar suas férias. "Estou um pouco nervosa com este, porque meu marido está fora e será o (meu) primeiro furacão sozinha", disse Christy Dobson, que é de Oklahoma e há 11 anos vive em Los Cabos. Junto com duas filhas pequenas, ela comprava água e alimentos não-perecíveis em um supermercado.

 

A Baixa Califórnia é uma região desértica, pouco populosa, mas balneários como Los Cabos e La Paz atraem muitos turistas, especialmente dos EUA. A Defesa Civil local disse estar fazendo preparativos para o furacão.

 

No último boletim do CNF, o olho do Jimena estava 395 quilômetros a sudoeste de Cabo Corrientes, que fica perto de Puerto Vallarta, e 635 quilômetros a sul-sudoeste do Cabo San Lucas, também no México. Deslocava-se a noroeste, mais ou menos paralelo à costa, a 13 quilômetros por hora. Ventos com força de furacão se estendiam num raio de 45 quilômetros.

 

O México não tem instalações petrolíferas no Pacífico, e por enquanto os portos da região continuam abertos. Em junho, outro furacão no Pacífico atingiu a localidade de Acapulco, no sul do México, matando um pescador. Também no domingo outra tempestade tropical ganhou força no Pacífico, cerca de 1.430 quilômetros a oeste de Los Cabos. A previsão, no entanto, é que a tempestade Kevin perca força nos próximos dois dias.

Tudo o que sabemos sobre:
furacão JimenaMéxico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.