Furacão Dean ganha força no Caribe e aproxima-se da Jamaica

Tempestade deixa pelo menos cinco mortos no Caribe e em Santa Luzia; ventos podem chegar a até 249 km/h

Associated Press e Efe,

18 de agosto de 2007 | 18h12

Multidões de turistas assustados buscam vôos para deixar as ilhas do Caribe e a rota do furacão Dean, no momento em que a tempestade passa ao largo da República Dominicana e do Haiti e ameaça engolir a Jamaica e as Ilhas Cayman. Até o começo da noite deste sábado, o furacão tinha causado a morte de cinco pessoas, sendo quatro no Caribe e uma em Santa Luzia.   Veja também:    Furacão Dean encurta missão do ônibus espacial Endeavour Chegada do Dean faz Bush liberar ajuda prévia ao estado do Texas   A fúria da tempestade pôde ser sentida neste sábado na capital dominicana, Santo Domingo, onde as ondas arremessaram pedras sobre o calçamento à beira-mar.   Na Jamaica e nas Ilhas Cayman, que estão na rota direta da tempestade, que atingiu categoria 4 na escala Saffir-Simpson - que vai até 5 - o medo tomou conta de moradores e turistas, preparando-se para um contato direto com o furacão neste domingo, a Jamaica começa a retirar moradores para mais de 1.000 abrigos espalhados pelo país. Antes do amanhecer, turistas já faziam fila do lado de fora do Aeroporto Mondego Bay, no oeste jamaicano, para reservar vôos de partida.    Teme-se que a tempestade chegue ao país com ventos de 249 km/h e provoque até 50 cm de chuva.   Mais para o oeste, nas Ilhas Cayman, que poderão ser atingidas pelo furacão na segunda-feira, turistas lotaram o Aeroporto Internacional Owens. A Cayman Airways criou 15 novos vôos para a Flórida, e todos lotaram rapidamente. Dean, o primeiro furacão da temporada deste ano no atlântico, ganhou força nas águas do Caribe depois de causar três mortes e devastar lavouras em pequenas ilhas na sexta-feira, quando ainda era uma tormenta de categoria 2.   Ele segue para o oeste, em rota para cortar a península mexicana de Yucatán e o Golfo do México na terça-feira, de acordo com o Centro Nacional de Furacões (NHC) dos EUA.

Tudo o que sabemos sobre:
deanjamaicacaymanfuracãotempestade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.