Futuro chanceler paraguaio 'preparado para guerra' por Itaipú

O futuro chanceler paraguaio,Alejandro Hamed, disse na quinta-feira que vai encarar asnegociações com o Brasil para obter um melhor preço pelaenergia da usina hidroelétrica de Itaipú com a experiência queadquiriu em uma guerra. Hamed, que foi confirmado na quarta-feira para o cargo,terá o desafio de liderar as negociações com o país vizinhopara um reajuste na tarifa paga ao Paraguai pela energia dausina binacional. O historiador deixará seu posto de embaixadorno Líbano, que ocupou durante a guerra contra Israel em 2006. "Estou preparado. Venho de uma guerra rapazes, não seesqueçam", disse ele em sua primeira coletiva de imprensadepois da nomeação, ao se referir às futuras negociações com oBrasil. "Saí vivo de uma guerra, em que há problemas reais. Aqui, équestão de negociar", acrescentou Hamed, considerado uma pessoaconciliadora e aberta ao diálogo, embora tenha mais experiênciaacadêmica que diplomática. Hamed foi escolhido pelo presidente eleito Fernando Lugopara dirigir o Ministério das Relações Exteriores a partir dodia 15 de agosto, quando o ex-bispo católico irá assumir aPresidência em meio a uma grande expectativa popular. Como líder de uma aliança de centro-esquerda, Lugo acaboucom mais de seis décadas de governo do Partido Colorado, e arenegociação do preço que Brasil e Argentina pagam ao Paraguaipela energia das hidroelétricas Itaipú e Yacyretá foi um dosprincipais eixos de sua campanha. Itaipú é uma das hidroelétricas mais potentes do mundo egera cerca de 20 por cento do total da energia consumida peloBrasil, que utiliza quase a totalidade do que é produzido pelausina. Os países formaram uma comissão técnica para avaliar opedido do Paraguai depois do dia 15 de agosto, entretanto,Hamed anunciou que se reunirá na próxima semana com o diretorparaguaio da entidade, o ex-senador liberal Carlos Mateo. Mateo anunciou recentemente que planeja se encontrar comMarco Aurélio Garcia, assessor de relações exteriores dopresidente Luiz Inácio Lula da Silva, nos primeiros dias deagosto, para tratar do assunto. (Reportagem de Mariel Cristaldo e Daniela Desantis)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.