García diz que integração da América do Sul pode ser exemplo

Presidente peruano afirma que a aproximação entre nações pode ser uma saída para instabilidade global

EFE,

25 de outubro de 2008 | 17h49

O presidente peruano, Alan García, disse neste sábado na cidade de Machala, no Equador, que a integração pela qual avança a América do Sul pode ser um "exemplo" para enfrentar a crise financeira que afeta o mundo. "Diante da crise mundial, um recurso fundamental de nossos países em desenvolvimento é se aproximar, se integrar", ressaltou García, que se reúne neste sábado em Machala com o líder equatoriano, Rafael Correa, para afiançar as relações bilaterais. Com a integração, "podemos dar um exemplo mundial de como responder ao problema da crise internacional", afirmou o chefe de Estado peruano, que não se referiu de forma específica à União de Nações Sul-americanas (Unasul), formada por 12 países da região. Em entrevista, ele ressaltou o fortalecimento da troca entre Equador e Peru, e insistiu no compromisso bilateral de "fortalecer" sua relação econômica, "que está crescendo exemplarmente". A visita de García a Machala aconteceu um dia antes do décimo aniversário do acordo de paz assinado pelos dois países em Brasília em 1998, quando colocaram fim a uma histórica disputa por um território sem a devida demarcação na fronteira amazônica. "Temos a firme decisão de encerrar, o mais rápido possível, alguns temas que nestes dez anos não puderam ser cumpridos", disse García, ao antecipar um dos objetivos de sua reunião com Correa em Machala. Os presidentes liderarão neste sábado uma reunião de seus gabinetes de ministros para aprofundar as relações comerciais, políticas, regionais e de cooperação.

Tudo o que sabemos sobre:
PeruCrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.