Governador de oposição da Bolívia pede refúgio ao Paraguai

O governador do principal distrito produtor de gás de Bolívia confirmou que solicitou refúgio ao Paraguai para deixar o seu país, onde foi suspenso do cargo por um caso de corrupção que considera perseguição política, segundo declarações divulgadas neste domingo.

REUTERS

26 de dezembro de 2010 | 16h48

Mario Cossío, afastado do cargo de governador do departamento de Tarija, vizinho ao Paraguai, afirmou em entrevista publicada pelo jornal da capital Abc Color que a medida foi inconstitucional e que não tem garantias de sua segurança e liberdade na Bolívia devido a sua oposição ao governo.

"Pedi refúgio formalmente. No momento, pedi a proteção do Conselho Nacional de Refugiados. Estou esperando que se pronuncie. Recebi um refúgio provisório", disse Cossío ao jornal.

"Minha opção foi esta: permanecer livre para seguir dizendo o que penso, para denunciar, para alertar que na Bolívia há uma ditadura aflorecendo", acrescentou.

Cossío, de centro-direita, uniu-se a mais de uma dezena de políticos bolivianos que nos últimos anos buscaram refúgio no exterior para evitar serem processados por casos que vão desde delitos econômicos até genocídio.

(Reportagem de Mariel Cristaldo)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLIVIAASILOPARAGUAI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.