Governo boliviano considera um fracasso referendo por autonomia

O governo da Bolívia se antecipou nodomingo aos resultados das urnas e classificou como um fracassoo referendo sobre um estatuto de autonomia realizado nodomingo, no rico Departamento de Santa Cruz. Uma hora antes de se encerrar o prazo que veta a divulgaçãode resultados eleitorais, o ministro Gustavo Rada destacou osconfrontos violentos entre grupos a favor e contra o referendoe as denúncias de fraude. "O resultado do dia é que esta consulta fracassou. Estaconsulta além de ilegal é inconstitucional e fracassou, porquesimplesmente levou à divisão do próprio povo de Santa Cruz",afirmou Rada em entrevista à imprensa. O referendo foi incentivado por setores de direita parabarrar políticas, de redistribuição de terras e para dar maiorpoder político para os indígenas, que fazem parte de uma novaConstituição "plurinacional" que o presidente Evo Moralespretende pôr em vigência. O ministro reiterou que o governo não planeja medidasextraordinárias de segurança em Santa Cruz, apesar de que,segundo disse, durante todo o dia obteve relatos tanto deviolência como de irregularidades que, na sua opinião,"passaram de preocupantes a graves". "Os enfrentamentos e a violência ... mostram que estaconsulta, apesar de qualquer resultado que posteriormente possasurgir em termos de percentuais, de contagem ou soma de votos,é ... um fracasso", insistiu Rada. Ele acrescentou ainda que o presidente Evo Morales prevê umpronunciamento ao país ainda no domingo para falar sobre oreferendo, o maior desafio de setores conservadores que estãoem Santa Cruz a sua "revolução democrática e cultural", quebusca dar mais poder aos indígenas e consolidar uma economia delinha socialista. (Carlos Alberto Quiroga)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.