Governo colombiano anuncia acordo com dissidência do ELN

Grupo atua nos departamentos do Chocó, de Antioquia e Risaralda; rebeldes serão reinseridos à vida civil

Efe,

15 de agosto de 2008 | 01h37

O governo colombiano revelou nesta quinta-feira, 14, que assinou um acordo para a desmobilização do Exército Revolucionário Guevarista (ERG), uma dissidência do Exército de Libertação Nacional (ELN) e que possui menos de 200 combatentes. O alto comissariado de paz do governo colombiano informou que o Luis Carlos Restrepo, chefe do órgão, assinou um acordo no último dia 2 com "representantes" do ERG, grupo com atuação sobretudo nos departamentos (estados) do Chocó e de Antioquia (noroeste), e em parte de Risaralda (centro-oeste). Um documento de oito itens foi assinado por Restrepo e os integrantes da guerrilha, que se comprometeram "a se desmobilizar, entregar as armas e se reincorporar à vida civil", segundo o alto comissariado de paz do governo colombiano. O órgão acrescentou que "os desmobilizados que assim desejarem, poderão ser postulados à lei de Justiça e Paz", marco legal para a reinserção de rebeldes à vida civil. O governo colombiano estabelecerá uma chamada "zona de localização temporária", na qual serão estabelecidos os rebeldes e o Estado se compromete a garantir o cumprimento da parte logística e operacional da operação de reinserção à vida civil. Além disso, será oficializada a presença plena do Estado nas regiões onde atuava esse grupo guerrilheiro. O documento foi assinado na zona rural de Guaduas, no município de El Carmen de Atrato, departamento do Chocó.

Tudo o que sabemos sobre:
ELNColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.