Governo da Bolívia suspende intervenção militar em aeroporto

O governo da Bolívia retirou nasexta-feira o controle militar imposto um dia antes noprincipal aeroporto do país, e declarou que as operações aéreascomerciais estão normalizadas. A medida não impediu, no entanto, que os líderes da regiãode Santa Cruz realizassem um barulhento protesto. Os militares se retiraram logo de manhã do aeroporto deViru Viru, em Santa Cruz, e o governo abriu "uma investigaçãominuciosa sobre os supostos atos de corrupção" no terminal,disse o ministro da Presidência, Juan Ramón Quintana, segundouma nota oficial. O documento acrescentou que todas as operações aéreassaídas de Viru Viru e rumando ao local estavam "normalizadas easseguradas". Mesmo assim, próximo ao aeroporto, o governadorde Santa Cruz, Rubén Costas, liderou um protesto com milharesde pessoas "em defesa da autonomia". O conflito foi deflagrado por uma disputa de poder entre asadministrações federal e regional para aeroportos, esta últimaacusada de descumprir obrigações tributárias e extorquir ascompanhias aéreas. A rede de TV Unitel, geralmente próxima dos líderes cívicose autoridades de Santa Cruz, afirmou que o aeroporto operavacom "absoluta normalidade", incluindo os trajetos das empresasAmerican Airlines, TAM e Gol, que chegaram a suspender os vôospor três dias. Viru Viru tem desde quinta-feira um diretor interino queficará no cargo até que a investigação seja concluída. O ministro de Obras Públicas, José Kinn, disse ajornalistas que o governo respeitará a semi-autonomia concedidapor uma administração anterior ao aeroporto de Santa Cruz, eque o futuro diretor do terminal será nomeado "em coordenaçãocom os representantes regionais". Viru Viru, quase 1.000 quilômetros a leste de La Paz, operacerca de 40 vôos diários, e é o principal centro de conexõesnacionais e internacionais da Bolívia. (Por Carlos Alberto Quiroga)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.