Governo da Colômbia adverte cidadãos a não viajarem para a Venezuela

Governo está preocupado com situação de 8 colombianos detidos sob acusação de espionagem

14 de abril de 2010 | 23h12

Associated Press

 

BOGOTÁ- O Ministério de Relações Exteriores da Colômbia emitiu nesta quarta-feira, 14, um advertência aos colombianos sobre "os riscos de viajar a Venezuela", por causa das recentes prisões de oito cidadãos da Colômbia em território venezuelano.

 

Mais cedo, o chanceler Jaime Bermúdez manifestou sua preocupação a repórteres com o destino dos colombianos detidos sob acusações de espionagem.

 

O documento da chancelaria explica que o governo "vê com preocupação os casos de homicídios de colombianos que ainda não foram suficientemente esclarecidos e os casos de detenções nos quais há evidências de ausência de plenas garantias".

 

Bermúdez também advertiu que instruiria todos os diplomatas colombianos no mundo a não assistirem a nenhum evento social no qual a Venezuela participe, porque parece "inconveniente" devido ao tratamento que recebem dos venezuelanos pelas "detenções que ocorreram nas últimas semanas, sobre as quais não houve uma resposta clara da Justiça venezuelana".

 

Alguns habitantes da fronteira rechaçaram a advertência. "Nós temos que ir para o outro lado para trabalhar, é o nosso sustento", disse Juan Carlos Villamizar ao noticiário Caracol.

 

As relações entre os dois países se mantêm distantes desde que o presidente Hugo Chávez congelou a diplomacia e o comércio com a Colômbia em represália a um acordo militar entre este país e os Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.