Governo da Colômbia tem conversas de paz preliminares com ELN

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, deu início a conversas de paz exploratórias com os rebeldes do Exército de Libertação Nacional da Colômbia (ELN), informou o governo nesta terça-feira, poucos dias antes de os eleitores irem às urnas para votar no segundo turno de uma das eleições presidenciais mais acirradas em décadas.

HELEN MUR, REUTERS

10 de junho de 2014 | 16h34

O governo de centro-direita disse ter começado a discutir uma série de temas no início do ano para iniciar negociações formais e pôr fim a meio século de guerra com o ELN, enquanto também negocia com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) desde novembro de 2012 em Cuba.

"Expressamos à Colômbia e à comunidade internacional o desejo recíproco de discutir esta fase exploratória que nos permitirá concordar a respeito de uma agenda de trabalhos e estabelecer conversas para chegarmos a um acordo final”, declararam o governo e o ELN em um comunicado conjunto que a Presidência publicou no seu site.

“As delegações concordaram que a agenda irá incluir temas como as vítimas e a participação social”.

Santos enfrenta Óscar Iván Zuluaga, de direita, nas urnas no domingo, no que promete ser a eleição mais disputada em duas décadas. Zuluaga se opõe fortemente às conversas com as Farc e deve fazer objeção às negociações com o ELN.

(Reportagem adicional de Symmes Cobb)

Tudo o que sabemos sobre:
COLOMBIAELNPAZ*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.