Governo de facto de Honduras aceita missão da OEA, dizem EUA

'Apoiamos esta iniciativa para o diálogo com interesse', diz porta-voz do Departamento de Estado americano

Reuters,

23 de setembro de 2009 | 17h00

O governo de facto de Honduras convidou uma missão da Organização dos Estados Americanos (OEA), informou nesta quarta-feira, 23, o departamento de Estado dos EUA. O objetivo da reunião é conseguir um diálogo entre o governo Roberto Micheletti e o presidente Manuel Zelaya, derrubado há três meses em um golpe de Estado.

Veja também:

linkPara juristas, situação de Zelaya é caso inédito

linkCrise hondurenha expõe tendência da diplomacia brasileira

link Entrevista: Zelaya diz que espera solução pacífica para crise

lista Ficha técnica: Honduras, um país pobre e dependente dos EUA

lista Eleito pela direita, Zelaya fez governo à esquerda em Honduras

especialCronologia do golpe de Estado em Honduras

especialEntenda a origem da crise política em Honduras

mais imagens Veja galeria de imagens do retorno

som Eldorado: Ouça comentário de Lula sobre crise política

video TV Estadão: Jornalistas do 'Estado' discutem impasse em Honduras

"O chanceler do governo de facto convidou publicamente um grupo da OEA para ir a Tegucigalpa para ajudar o diálogo", disse o porta-voz Ian Kelly. "Apoiamos esta iniciativa com interesse".

Na segunda-feira, o governo Micheletti fechou os aeroportos do país enquanto o secretário-geral da OEA, José Miguel Inzulza planejava viajar ao país.

Zelaya voltou a Honduras há dois dias e se abrigou na embaixada brasileira em Tegucigalpa. O governo de facto, que o declarou fugitivo após militares o expulsarem do país, declarou toque de recolher, cercou a embaixada brasileira e reprimiu manifestações de partidários do presidente. Até agora três pessoas morreram e centenas foram detidas.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasEUAgolpe de EstadoOEA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.