Governo do México exige libertação de quatro jornalistas sequestrados

Repórteres foram raptados por gangue do narcotráfico após cobrirem rebelião em penitenciária

Efe,

30 de julho de 2010 | 19h31

CIDADE DO MÉXICO- O governo mexicano exigiu nesta sexta-feira, 30, a libertação dos jornalistas sequestrados pelo crime organizado no norte do país. "É um atentado contra a sociedade, disse o secretário do Interior, Francisco Blake Mora, em um comunicado lido ante a imprensa.

 

Veja também:

linkUm dos 4 jornalistas sequestrados no México é libertado

linkMorre líder do Cartel de Sinaloa

 

"O governo exige a imediata libertação das pessoas sequestradas e reitera seu compromisso com todas suas atribuições legais", disse o funcionário, que prometeu "levar os responsáveis à Justiça".

 

O sequestro ocorreu na quarta nos arredores da cidade de Torreón, na fronteira do estado de Durango com Coahuila. As vítimas foram quatro jornalistas, dois do canal Televisa, outro do Grupo Milênio e um do jornal El Vespertino.

 

Um deles foi libertado na quinta, e no momento a polícia está aguardando a libertação de mais um. Fontes da redação do Grupo Milênio apontaram que não havia uma confirmação.

 

Os repórteres foram sequestrados depois de cobrirem uma rebelião em uma penitenciária cuja diretora foi presa, acusada de permitir que presos saíssem à noite para assassinar membros de cartéis rivais.

 

Em troca de sua liberdade, os sequestradores pediram que os meios no qual os jornalistas trabalham divulgassem vídeos na internet nos quais policiais e civis confessavam trabalhar para o cartel Los Zetas.

 

Na última década, cerca de 70 jornalistas foram assassinados no México. Desde 2006, 14 estão reportados como desaparecidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.