Grevistas no Panamá detêm policiais em protestos

Trabalhadores de plantações de banana que estão em greve no Panamá detiveram, nesta sexta-feira, quatro policiais em meio a protestos que deixaram uma pessoa morta nos confrontos com os agentes, disseram autoridades.

REUTERS

09 de julho de 2010 | 17h34

O gabinete do presidente panamenho, Ricardo Martinelli, disse que os grevistas no oeste do país detiveram os agentes da polícia durante os dois dias de confrontos em Changuinola contra uma nova lei que debilita os sindicatos.

Ao menos um homem morreu na quinta-feira nos confrontos entre trabalhadores e as tropas antichoque, que lançaram gás lacrimogêneo contra os grevistas que haviam bloqueado estradas perto de Changuinola.

Autoridades do hospital disseram que 102 pessoas com ferimentos haviam sido atendidas mais cedo nesta sexta-feira.

Os distúrbios aconteceram depois que Martinelli sancionou no mês passado uma lei que enfraquece os sindicatos e dá às empresas o direito de suspender os contratos dos grevistas e admitir substitutos.

Em um incidente separado no dia anterior, 48 grevistas do projeto de ampliação do Canal de Panamá foram demitidos e ao menos seis foram detidos depois de se negarem a retomar o trabalho.

O Canal de Panamá permaneceu aberto apesar da disputa.

(Reportagem de Sean Mattson)

Tudo o que sabemos sobre:
PANAMAGREVEPROTESTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.