Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Grupo armado assassina 7 pessoas no norte do México

Cerca de 50 pessoas foram assassinadas no país durante o fim de semana

15 de março de 2010 | 23h30

Um grupo de homens armados a bordo de 15 veículos assassinou sete pessoas e deixou outra seis pessoas feridas nesta segunda-feira, 15, no povoado de Creel, no estado de Chihuahua, no norte do México.

 

Veja também:

linkCalderón visita Ciudad Juaréz em meio a comoção por morte de americanos

linkNarcotráfico é suspeito de matar 3 ligados ao consulado dos EUA no México

 

Fontes da polícia estatal informaram que após o ataque três cadáveres foram encontrados nos arredores do povoado, e outros quatro corpos foram localizados na estrada que leva Creel à cidade vizinha de Guachohi.

 

Segundo autoridades locais, os habitantes escutaram disparos por volta das 5h local (7h de Brasília).

 

De acordo com relatos, uma quantidade não determinada de homens armados chegou ao local a bordo de cerca de 15 caminhonetes e iniciou a perseguição de dois veículos, que posteriormente foram encontrados abandonados e com marcas de bala.

 

Nessa mesma área, foram encontrados os corpos de Luis Manuel Solís Bustillos, de 27 anos, Paúl Ramiro Solís Rascón, de 26, e José Luis Beltrán González, de 49 anos.

 

Em outra parte da estrada, foram encontrados os outros quatro cadáveres, dos quais apenas Emilio Hernández Torres, de 22 anos, foi identificado.

 

Em 15 de novembro de 2008, os habitantes de Creel presenciaram um dos piores massacres ocorridos no estado de Chihuahua, quando 13 pessoas foram assassinadas, entre elas uma criança de um ano.

 

O último fim de semana foi atipicamente sangrento no México. Cerca de 50 pessoas morreram, entre elas três pessoas ligadas ao consulado dos Estados Unidos em Ciudad Juárez, no estado de Chihuahua, das quais duas eram americanas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.