Grupo de 18 guerrilheiros entrega-se ao Exército na Colômbia

Uma coluna da maior guerrilha daColômbia, ligada ao narcotráfico, ficou praticamentedesarticulada com a desistência de 18 de seus integrantes,aumentando para 30 o número de deserções na última semana,informou o Exército nesta segunda-feira. O comandante da Quarta Divisão do Exército, generalGuillermo Quiñones, disse que a última deserção aconteceu nodomingo, perto do município de Cumaribo, no Departamento deVichada, uma área de savana e selvas no leste do país. O oficial revelou que 18 integrantes da frente 16 dasForças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) se renderamàs tropas do Exército, incluindo um comandante com 15 anos deserviços prestados ao grupo rebelde. Entre os guerrilheiros que entregaram as armas também estãoalgumas mulheres, uma delas com um bebê de 7 meses. Há uma semana, outros 11 integrantes da mesma coluna,incluindo uma guerrilheira gravida, se renderam ao Exércitonesta mesma região. Os 30 guerrilheiros que desertaram na última semanapertencem a uma frente que era comandada por Tomás MedinaCaracas, o "Negro Acacio", morto em um ataque do Exército a seuacampamento no meio da selva, em setembro. A morte de Medina foi um dos maiores feitos das ForçasMilitares nos últimos meses e, de acordo com Quiñones, deixousem comando uma importante frente para as finanças das Farc,dedica à produção e comercialização de cocaína. Entre janeiro de 2002 e novembro de 2008, mais de 14.000combatentes de grupos armados ilegais desertaram, a maioria dasFarc, de acordo com dados oficiais. O governo oferece benefícios jurídicos e programas desaúde, educação e emprego aos combatentes da guerrilha quedesertam, uma medida que tem conseguido reduzir o número deefetivo dos grupos rebeldes e sua capacidade de luta, segundoanalistas. (Reportagem de Luis Jaime Acosta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.