Guerra entre cartéis de droga mata 13 em Cidade Juarez

Ataque aconteceu mesmo depois da implementação pelo governo de programas sociais e massiva presença policial

Agência Estado, com AP,

23 de outubro de 2010 | 17h12

Homens armados invadiram duas casas e massacraram 13 jovens em mais um ataque em grande escala em Cidade Juarez, cidade da fronteira mexicana com os Estados Unidos. O ataque aconteceu mesmo depois da implementação da nova estratégia do governo de restaurar a ordem através de programas sociais e massiva presença policial.

 

Os atacantes chegaram em dois veículos em um bairro de classe média baixa na noite de sexta-feira e abriram fogo contra mais de trinta jovens que estavam em uma festa. Os mortos identificados até o momento tem entre 16 a 25 anos. Quinze foram feridos, entre eles um menino de 9 anos.

 

A polícia achou 70 cápsulas de balas no local, de armas utilizadas geralmente por vendedores de drogas, cujas guerras entre gangues rivais já mataram mais de 2 mil pessoas este ano em Cidade Juarez, através da fronteira com a cidade norte-americana de El Paso, no Texas.

 

Os bandidos escaparam e a polícia disse que eles não possuem informação de qualquer suspeito ou motivo possível. Cidade Juarez se tornou uma das cidades mais perigosas do mundo devido à guerra entre os cartéis de Sinaloa e Juarez, que frequentemente se enfrentam em ataques massivos em bares, clínicas de reabilitação e festas.

 

Em alguns ataques, pessoas inocentes aparentemente foram mortas, ou por conta de alguém que estava no local era o alvo ou porque os atacantes estavam com um endereço errado. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Méxicomassacrefronteira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.