Guerrilha ELN, da Colômbia, liberta 9 pessoas

A segunda força guerrilheira da Colômbialibertou no domingo nove pessoas que mantinha como reféns emuma zona montanhosa do sudoeste do país, perto do Equador,informou o Comitê Internacional da Cruz Vermelha. A liberação dos reféns, incluindo sete motoristas dotransporte público, ocorreu em uma região rural do município deSamaniego, no Departamento de Nariño, onde foram entregues auma comissão da Cruz Vermelha. "Foram liberadas as pessoas que estavam retidas há 14dias", disse a jornalistas a prefeita de Samaniego, YamileMontenegro. Segundo ela, todos se encontram em boas condiçõesde saúde. Os nove eram reféns do Exército de Liberação Nacional(ELN), a segunda maior guerrilha da Colômbia, que conta comcerca de 5.000 combatentes e que surgiu na década de 1960,inspirada na revolução cubana. O grupo, inicialmente integrado por padres católicosradicais, mantém desde dezembro de 2005 conversas exploratóriascom o governo do presidente Alvaro Uribe, mas ainda não decidiuiniciar negociações formais de paz. (Reportagem de Luis Jaime Acosta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.