Guerrilheiros colombianos sequestram seis turistas

Guerrilheiros colombianos sequestraramum grupo de seis turistas que viajava de barco num rio de umaregião remota. O sequestro aconteceu poucos dias depois da entrega de duasreféns por rebeldes numa negociação mediada pelo presidente daVenezuela, Hugo Chávez. A soltura das duas tinha alimentadoesperanças de que se chegasse a um acordo com a guerrilha, demodo a libertar os centenas de sequestrados que permanecem háanos em cativeiro -- entre eles a ex-presidenciável IngridBetancourt. Os seis turistas colombianos foram capturados no fim datarde de domingo, quando seu barco foi interceptado porrebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc)na província de Choco, numa região de selva na costa doPacífico, disse a Marinha. "Um grupo de homens armados, que se identificaram comomembros das Farc, fugiu levando seis dos turistas, depois deroubar combustível do barco e dinheiro e celulares dospassageiros", afirmou a Marinha numa nota. O presidente da Venezuela ajudou na semana passada anegociar a libertação das políticas Clara Rojas e ConsueloGonzález, que eram mantidas em cativeiro havia mais de cincoanos pelas Farc, grupo considerado terrorista pelos EstadosUnidos. Capturada junto com Betancourt durante a campanhapresidencial de 2002, Clara deu à luz Emmanuel, em 2004, nocativeiro. Quando tinha oito meses, o menino foi entregue pelasFarc a uma família de camponeses no sul do país. Mãe e filho sereencontraram no domingo na Colômbia. O presidente da França, Nicolas Sarkozy, pressionou as Farca libertar os reféns, já que Betancourt tem cidadania francesa.Mas a negociação mediada por Chávez foi marcada por tensões eacusações mútuas com o governo colombiano. Chávez quer que asFarc sejam retiradas da lista de grupos terroristas. (Reportagem de Patrick Markey, em Bogotá)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.