Guerrilheiros das Farc libertam 20 trabalhadores seqüestrados

Rebeldes detiveram as pessoas na madrugada desta quinta-feira a cerca de 600 quilômetros de Bogotá

EFE

12 de outubro de 2007 | 02h38

Um grupo de guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionária da Colômbia (Farc) libertou nesta sexta-feira 20 trabalhadores agrícolas que seqüestrou horas antes no departamento (estado) de Antioquia (noroeste), informaram fontes oficiais. Foi o prefeito do município de Tarazá, Reynaldo Ángel Posso, que disse aos jornalistas que os trabalhadores que foram retidos por insurgentes da frente 36 das Farc foram libertados. Os rebeldes detiveram as 20 pessoas na madrugada desta quinta-feira no sítio "La Indiana", de Tarazá, cerca de 600 quilômetros ao noroeste de Bogotá. Nessa região são realizados projetos de produção nos quais participam ex-paramilitares de direita desmobilizados das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC) e deslocados pelo conflito. O prefeito disse que aparentemente os guerrilheiros procuravam ex-paramilitares do "Bloque Mineros" das AUC, que entregou as armas em janeiro de 2006 dentro do processo de paz entre a organização e o Governo colombiano, no qual foram desmobilizados mais de 31 mil combatentes.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcColômbiasequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.