Gustav mata ao menos 68 no Caribe e segue em direção aos EUA

Tempestade tropical atravessa o Golfo do México, onde ameaça petrolíferas até chegar em Nova Orleans

Agências internacionais,

29 de agosto de 2008 | 08h12

A tempestade tropical Gustav, que atravessa o Caribe na direção do Golfo do México e do sul dos Estados Unidos, já deixou pelo menos 68 mortos na passagem pelo Haiti e pela República Dominicana. Depois de atingir a Jamaica com ventos de até 110 quilômetros por hora, os Estados americanos do Texas e da Louisiana colocaram a Guarda Nacional em alerta, e Nova Orleans - cidade devastada pelo furacão Katrina em 2005 - afirmou que uma ordem de retirada da cidade pode ser necessária. A preocupação agora é que Gustav ganhe força nas águas quentes do Golfo do México, colocando em perigo a indústria petrolífera na região, e novamente causar uma tragédia em Nova Orleans, onde 1.500 morreram pelo Katrina. No Haiti, pelo menos 59 pessoas morreram por conta de enchentes, deslizamentos de terra e queda de árvores, incluindo 25 nos arredores da cidade de Jacmel, onde Gustav atingiu o solo pela primeira vez na terça-feira. Oito pessoas morreram soterradas na República Dominicana e uma na Jamaica.  As autoridades de Louisiana e New Orleans (EUA) não descartaram a possibilidade de retirar todos os moradores por causa do Gustav, que se tornou o primeiro grande furacão a ameaçar as instalações de gás e petróleo americanas desde o Wilma, em 2005. A retirada em New Orleans pode começar hoje, quando se completam três anos desde a passagem do furacão Katrina, que inundou a cidade e deixou cerca de 1.500 mortos na região.  Na madrugada, o olho da tempestade estava próximo da costa da Jamaica, a cerca de 140 quilômetros ao oeste da capital Kingston, com deslocamento de 13 quilômetros por hora. Agora, Gustav atravessará uma enorme superfície de mar aberto nas águas quentes da região. Meteorologistas estimam que, à medida que se desloque para o oeste, o furacão deve ganhar força, podendo até atingir a categoria 3 ou 4 na escala Saffir-Simpson, que vai até 5.  Foi iniciada a retirada de trabalhadores de algumas das plataformas de prospecção de petróleo no Golfo do México. O preço do barril do produto aumentou em meio a temores de que o fornecimento possa ser afetado. Segundo a BBC, Gustav é a sétima tempestade tropical desta estação dos furacões no Atlântico.

Tudo o que sabemos sobre:
Gustav

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.