Haiti receberá US$ 1,6 bi em projetos de reconstrução

Investimentos estão relacionados com a limpeza de escombros causados pelo terremoto que aconteceu em janeiro

Efe

18 de agosto de 2010 | 02h36

PORTO PRÍNCIPE - A Comissão Interina pela Reconstrução do Haiti (CIRH) aprovou na terça-feira, 17, em Porto Príncipe a realização, durante os próximos três meses, de 29 projetos com um investimento de US$ 1,6 bilhões e com a perspectiva da criação de dezenas de milhares de empregos.

O organismo, no entanto, advertiu que ainda faltam fundos para o financiamento de seis desses projetos.

A CIRH, dirigida de maneira conjunta pelo ex-presidente americano Bill Clinton e pelo primeiro-ministro haitiano, Jean Max Bellerive, anunciou as medidas ao término da segunda reunião de seu Conselho de Administração.

Os projetos estão relacionados com a limpeza de escombros causados pelo terremoto que assolou o país em 12 de janeiro, a construção de lares transitórios para os desabrigados perante os riscos da temporada de furacões, intervenções nas infraestruturas, agricultura, educação e saúde.

"Esta reunião representa uma resposta a diversas críticas e preocupações em torno do trabalho da Comissão, a disponibilidade dos fundos e constitui o começo de muitos trabalhos concretos", afirmou Clinton em entrevista coletiva.

Bellerive afirmou, por sua parte, que a prioridade absoluta do governo neste momento é a rápida melhoria das condições de vida de dezenas de milhares de pessoas sem-teto.

O organismo tem também como uma de suas prioridades a evacuação de 500 mil pessoas que vivem em lugares de risco pelos desastres naturais.

A CIRH, especificamente, projeta a construção de 120 mil refúgios, assim como a reparação de 80% das casas danificadas pelo terremoto que podem ser recuperadas.

O funcionário destacou, além disso, o interesse da Comissão para que cerca de 325 mil crianças possam voltar às aulas nas próximas semanas.

Bellerive afirmou, além disso, que um dos objetivos da Comissão é executar várias obras de infraestrutura nos próximos cinco anos.

Entre estas anunciou a construção de oito portos em vários pontos do Haiti e de a intenção de transformar em regional o porto de Cayes (sul).

Além disso, explicou o primeiro-ministro haitiano, estão planejadas as conclusões dos trabalhos de construção do aeroporto internacional de Cap-Haïtien (norte) e a construção cinco aeroportos domésticos, cujos locais não foram informados.

A reunião da comissão teve participação de todos os seus membros, haitianos e estrangeiros, entre eles Gabriel Verret, conselheiro econômico do presidente haitiano, René Préval, e secretário-executivo da CIRH, e o ex-primeiro-ministro da Jamaica, Percival Patterson, representante da Comunidade do Caribe (Caricom).

A Comissão Interina para a Reconstrução do Haiti foi criada por decreto presidencial em 21 de abril, três meses após o terremoto, que causou 300 mil mortes, deixou 300 mil feridos e 1,2 milhões de deslocados.

Sua missão é empreender o planejamento, coordenação e a execução dos projetos de desenvolvimento e dos programas financiados pelos provedores de fundos internacionais, ONGs e setor privado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.