Helicóptero cai na Venezuela, matando 18 soldados

Chávez não hesitou em politizar a morte dos militares, usando o acidente para provocar o Governo americano

Efe,

03 de maio de 2009 | 17h04

Um helicóptero do Exército venezuelano caiu neste domingo, 3, na fronteira com a Colômbia, causando a morte de seus 18 ocupantes, entre eles um general da Simulação de Operações Número 2, informou o presidente Hugo Chávez, em seu programa dominical Alô, presidente!.

 

Chávez não hesitou em politizar a morte dos militares, usando o acidente para provocar o Governo americano.

 

"Hoje, 18 venezuelanos morreram, patrulhando a fronteira, cuidando aos venezuelanos, e o Governo dos Estados Unidos nos acusa de não patrulhar a fronteira" com a Colômbia, disse, sem dar mais detalhes do acidente.

 

O governante informou do acidente sem especificar o local exato onde caiu o helicóptero, imediatamente após receber discretamente um informe das mortes durante a transmissão de seu programa dominical.

 

Após gritar "vivas ao que morrem pela pátria!", Chávez lembrou que nesta semana o Governo dos Estados Unidos "voltou a acusar" seu país de não colaborar completamente na luta contra o terrorismo.

 

Ele citou o acidente para acusar o Governo americano que dizer "a infâmia de que a Venezuela não patrulha suas fronteiras".

 

"Quantas vidas nos custou patrulhar a fronteira? Vejam os senhores o que nos custa o conflito interno da Colômbia, que é alimentado, é preciso dizer, pelas correntes 'guerreiristas' dos Estados Unidos", disse.

 

Chávez ainda aproveitou para pôr a culpa pelas crises bélicas do mundo nos EUA, que chamou de "cães da guerra que andam inventando guerras e conflitos para vender armas, alimentados pelo narcotráfico".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.