Helicóptero cai no Panamá e mata comitiva policial chilena

Aeronave choca-se contra prédio e deixa pelo menos 11 mortos; Chile decreta luto oficial de três dias

Associated Press,

29 de maio de 2008 | 20h06

A queda de um helicóptero do governo do Panamá, que transportava uma comitiva oficial de policiais chilenos em visita ao país, matou cinco funcionários da cúpula da polícia do Chile, na tarde desta quinta-feira, 29. Pelo menos 11 morreram no desastre, segundo as autoridades panamenhas. O helicóptero, que levava 12 pessoas, chocou-se contra um edifício comercial de três andares na Cidade do Panamá e as causas do acidente ainda são desconhecidas.   O governo chileno confirmou no início da noite desta quinta que entre os mortos estão o diretor-geral da polícia chilena, o general José Alejandro Bernales, de 59 anos; os comandantes da polícia chilena Oscar Tapia e Ricardo Orozco; e o capitão da polícia chilena Mauricio Fuenzalida. A esposa do comandante Tapia, Carolina Reyes, estava no helicóptero e também morreu no desastre.   A esposa do general Bernales, Teresa Bianchini Frost, que também estava no aparelho, sobreviveu e foi levada a um hospital panamenho. Ainda não está claro se existem mais vítimas fatais no desastre.   O governo do Chile decretou luto oficial de três dias, a serem cumpridos a partir de sexta-feira. A presidente chilena Michelle Bachelet suspendeu uma viagem de três dias no norte do Chile quando escutou a notícia e retornou a Santiago.   O cônsul do Chile na Cidade do Panamá disse que Bernales, gravemente ferido, chegou a ser transportado a um hospital, mas não sobreviveu aos ferimentos. Uma coluna de fumaça negra subiu aos céus sobre a área comercial da Cidade do Panamá. A polícia panamenha isolou a área.

Tudo o que sabemos sobre:
PanamáChilequeda de helicóptero

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.