'Homem-Aranha francês' escala hotel histórico de Havana

Com centenas de pessoas olhando das ruas, o chamado Homem-Aranha francês, Alain Robert, escalou o hotel considerado um marco histórico Havana Libre, na segunda-feira, em uma escalada livre que ele afirmou não ter sido muito difícil.

Reuters

05 de fevereiro de 2013 | 09h39

Ele subiu o hotel de 27 andares em cerca de meia hora, escalando de varanda em varanda e pausando ocasionalmente para pedir aplausos da multidão, que parou nas ruas próximas do bairro de Vedado, em Havana.

Robert, de 50 anos, não usou nenhum equipamento de segurança e por duas vezes tirou "oohs" e "ahhs" da plateia quando fingiu que estava caindo.

"A subida foi legal, não muito difícil", disse a repórteres depois.

Robert já subiu em estruturas muito mais formidáveis por todo o mundo, incluindo marcos como as Torres Petronas, em Kuala Lumpur, e a ponte Golden Gate, em São Francisco.

Porém, ele escolheu o Havana Libre porque foi a primeira residência de Fidel Castro por vários meses depois de ter assumido o poder em Cuba na revolução de 1959.

"É um símbolo para Cuba", disse Robert, um homem pequeno e resistente com longos cabelos loiros.

O hotel abriu na primavera de 1958 como o Hilton de Havana, porém em um dado momento foi tomado pelo governo comandado por Fidel e o nome mudou para Havana Libre, ou "Havana Livre".

Quando Robert chegou ao último andar, a multidão em baixo aplaudiu vigorosamente e todos deram um respiro aliviado.

"Foi emocionante, porém fiquei com medo. Eu pensei que a qualquer momento ele iria cair", disse a enfermeira Rosalba Garcia, 58 anos, com um sorriso nervoso. "Foi um ótimo show".

(Reportagem de Jeff Franks)

Tudo o que sabemos sobre:
CUBAHOMEMARANHAFRANCESHAVANA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.