Homem sobrevive 60 horas na selva após queda de avião na Bolívia

Um dos nove ocupantes de um pequeno avião comercial que caiu na Bolívia sobreviveu mais de 60 horas na selva e foi resgatado nesta sexta-feira, um dia após todos os passageiros terem sido dados como mortos pelas autoridades.

REUTERS

09 Setembro 2011 | 14h39

Depois de ficar 15 horas preso nos destroços do avião, um Fairchild Metro III, o comerciante Minor Vidal, de 35 anos, conseguiu escapar. Ele sobreviveu bebendo urina e água de um lago na Amazônia, segundo contou à equipe que o encontrou na manhã desta sexta-feira.

"Estamos muito emocionados desde que tivemos a notícia do resgate. O presidente (Evo Morales) transmite também sua mais sincera alegria por este momento", afirmou a ministra da Defesa, Cecilia Chacón, no aeroporto de Trinidad, uma localidade amazônica situada cerca de 500 quilômetros a nordeste de La Paz.

Na quinta-feira à tarde, quando as equipes de resgate acharam os destroços do avião após uma intensa busca, Chacón declarou que não havia sobreviventes entre os sete passageiros, incluindo dois colombianos, e os dois tripulantes.

Mas horas depois as equipes de resgate encontraram apenas oito corpos e deram início ao rastreamento da área, o que permitiu localizar Vidal.

"Ele queria caminhar antes de ser colocado na maca, quer viver e, segundo os sintomas que relata, tem rompimento de costelas e uma ferida na cabeça", disse a repórteres o capitão naval David Bustos, chefe das operações de resgate.

"A vários quilômetros do local do acidente vimos à margem do rio um homem que nos fazia sinais. Quando chegamos perto, ele se ajoelhou e agradeceu a Deus", contou o militar.

Emissoras locais de TV mostraram imagens de Vidal caminhando lentamente na selva, apoiado nos militares, até ser conduzido a uma lancha que o levaria até Trinidad, cidade próxima do local onde o avião caiu na terça-feira.

Vidal foi internado em um hospital militar de Trinidad e está fora de perigo, o que foi comemorado por seus parentes.

"Graças a Deus ele está vivo, é um verdadeiro milagre, Jesus realizou e glorificou através dele", disse ainda surpresa a irmã dele, Rosario Vidal.

O avião havia partido na terça-feira de Santa Cruz, também na região tropical do país, para um voo de quase uma hora em meio à densa fumaça provocada pela queima de mata e pastagens com finalidade agrícola, uma prática comum nesta época do ano nessa parte da Bolívia.

(Reportagem de Carlos Vargas)

Mais conteúdo sobre:
BOLIVIA AVIAO SOBREVIVENTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.