Honduras critica Hugo Chávez por 'intervenção' em outros países

Venezuela é um dos países que ainda não reconheceu o governo de Lobo

Estadão.com.br

28 de junho de 2010 | 13h01

BOGOTÁ - Honduras criticou o presidente da Venezuela Hugo Chávez por suas 'intervenções' na política interna de outros países, através de declarações do chanceler hondurenho Mario Canahuati publicadas nesta segunda-feira, 28, no jornal colombiano El Espectador, de acordo com informações da agência de notícias AFP.

 

"Não compartilhamos da decisão de influenciar nas políticas internas de outros países. Ele não pode ter como parte de suas políticas a intervenção que transcendem suas fronteiras", disse o chanceler hondurenho, perguntado sobre o fato de Chávez se recusar a reconhecer o governo de Lobo.

 

A um ano do golpe de Estado em Honduras que tirou do poder Manuel Zelaya, segundo Canahuati "95% dos países normalizaram suas relações com Honduras e 100% os organismos internacionais já o fizeram".

 

O chanceler hondurenho fez um chamado aos países que ainda não reconheceram o governo de Lobo, eleito em 29 de novembro do ano passado em eleições convocadas pelo regime de fato. "Os estaremos esperando com braços abertos", disse.

 

A respeito da situação de Zelaya, Canahuati reiterou que o governo diz que ele "pode regressar no momento em que ele o considerar conveniente".

 

Entretanto, "o que deveria fazer é, como hondurenho, enfrentar as questões pendentes", advertiu.

 

"Cremos firmemente que a justiça de Honduras está pronta para receber o ex-presidente Zelaya", acrescentou o funcionário. "É a Comissão da Verdade que deverá avaliar o que passou antes, durante e depois de 28 de junho", sublinhou.

 

Zelaya foi derrotado por um golpe de Estado em 28 de junho de 2009, quando tentava realizar uma consulta - declarada ilegal pela Justiça e pelo Congresso - cujo objetivo era mudar a Constituição para poder ser reeleito.

Mais conteúdo sobre:
Hugo ChávezHondurasZelayaLobo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.