Reuters
Reuters

Hugo Chávez acusa CIA de estar por trás de protestos contra ele

Milhares de pessoas saíram às ruas em manifesto global contra 'ingerência' externa de presidente venezuelano

Efe,

04 de setembro de 2009 | 22h11

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, afirmou nesta sexta-feira, 4, que a jornada mundial de mobilizações contra ele foi um "fracasso" e que a Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA, na sigla em inglês) está por trás dela. Milhares de pessoas protestaram hoje em vários países, principalmente na Colômbia, Honduras e Estados Unidos, contra a suposta ingerência do líder venezuelano, em resposta a uma convocação batizada de "Não Mais Chávez", lançada nas redes sociais virtuais Facebook e Twitter.

 

Veja também:

linkMarchas contra Chávez reúnem milhares de pessoas pelo mundo

 

"Por trás disso se sabe que está a CIA e seu grande poderio, muito dinheiro e recursos tecnológicos do capitalismo ocidental", afirmou Chávez, em uma ligação telefônica à estatal "Venezolana de Televisión" (VTV).

 

O presidente se referiu à "pouca" participação nos eventos e acrescentou que, independentemente disso, estaria claro que "a direita mundial está diminuída", enquanto as "forças progressistas avançam."

 

A série de protestos contra Chávez foi um "fracasso, e eles seguirão fracassando", já que, segundo o líder, "se trata da luta entre o passado obscuro, horrível e tenebroso, do qual estamos saindo, e o novo amanhecer que se levanta."

Tudo o que sabemos sobre:
Hugo ChávezVenezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.