Hugo Chávez anuncia 'mudanças profundas' na Venezuela

Em primeiro ato público após promulgação de reeleição ilimitada, presidente promete avançar com 'revolução'

Efe,

20 de fevereiro de 2009 | 18h14

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse nesta sexta-feira, 20, que sua "revolução bolivariana" e socialista coloca "mudanças profundas" na estrutura do país, e que descarta qualquer tipo de pacto com a oligarquia, como chama à oposição tradicional. "Não chegamos aqui para fazer umas pequenas reformas, mas para transformar a fundo as estruturas políticas, econômicas e sociais", assegurou o líder em um ato militar na região ocidental de Falcon, transmitido em cadeia obrigatória de rádio e televisão.   Este é o primeiro ato público de Chávez após a promulgação ontem da emenda constitucional para a reeleição ilimitada, aprovada em referendo no domingo passado, e que o habilitou a concorrer à reeleição para a Presidência em 2012.       Veja também: Vitória pode impulsionar socialismo chavista, diz analista  Cenário na Venezuela após o resultado  Fotos: o referendo na Venezuela  Fotos: A dinastia Chávez  Enquete: Você acha que a reeleição ilimitada é legítima?  Conheça os programas sociais apoiados por Chávez  Processos eleitorais na Venezuela na presidência de Chávez   Vestido de verde oliva, o presidente reivindicou a propriedade social da terra, da indústria e dos meios de produção já que, segundo sua opinião, o socialismo não pode ser apenas um sonho, mas deve se concretizar "ter corpo, músculos, esqueleto, carne, vida."   Além disso, negou qualquer tipo de pacto com a oposição "apátrida", à qual se referiu como "a oligarquia derrotada", quando os venezuelanos aprovaram em referendo a emenda para a reeleição ilimitada, o que permitirá a Chávez optar novamente à Presidência dentro de quatro anos, período 2013-2019.   "Eu não cheguei aqui para trair este povo e fazer pactos infames com a oligarquia, mas para cumprir um pacto com o povo ou morrer na batalha", concluiu o presidente venezuelano.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaHugo Chávez

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.