Hugo Chávez já decidiu fechar Globovisión, diz executivo

Vice-presidente da emissora oposicionista diz que venezuelano espera por 'maneira de diminuir custo político'

Efe,

30 de julho de 2009 | 18h36

O vice-presidente da Globovisión, Carlos Zuloaga, assegurou nesta quinta-feira, 30, que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, já tomou a decisão de fechar esse canal de televisão, mas que antes tenta minimizar o custo político. "Chávez já tomou a decisão de fechar a Globovisión. Está apenas buscando a maneira de diminuir o custo político", afirmou em uma conferência organizada pelo Instituto Cato, onde substituiu seu pai e presidente da emissora, Guillermo Zuloaga.

 

Veja também:

linkVenezuela pode ter lei contra 'delitos midiáticos'

linkVenezuela abre processos contra 50 emissoras de rádio

linkGoverno Chávez ameaça confiscar concessão da Globovisión

 

A Globovisión, ameaçada de fechamento pelo governo venezuelano acusada de promover um "terrorismo midiático", enfrenta multas estatais de US$ 4,2 milhões e cinco expedientes administrativos, dois dos quais poderiam acarretar a retirada da permissão para transmissão em aberto.

 

O vice-presidente da emissora lembrou que no caso da Radio Caracas Televisión (RCTV), que teve que deixar de transmitir em aberto em maio de 2007, Chávez avisou em dezembro que não renovaria o direito, com o que "deu cinco meses a todos e aos venezuelanos" antes da saída do ar.

 

"O que vemos no caso da Globovisió" é que Chávez quer buscar vias para minimizar o custo político" que representou "fechar a RCTV", explicou Zuloaga. Segundo ele, o governo venezuelano, antes de retirar da Globovisión o direito de transmitir em aberto, quer regular primeiro a televisão a cabo.

Tudo o que sabemos sobre:
Hugo ChávezVenezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.