EFE
EFE

Hugo Chávez sofre 'complicações' após cirurgia

Governo diz que presidente da Venezuela está com infecção pulmonar severa e insuficiência respiratória.

BBC Brasil, BBC

04 de janeiro de 2013 | 02h36

O presidente da Venezuela Hugo Chávez está sofrendo de "complicações" causadas por "uma infecção pulmonar grave" desenvolvida após uma cirurgia, segundo o governo.

Em um pronunciamento feito em Caracas, o ministro da Informação, Ernesto Villegas, afirmou que a infecção "levou (Chávez) a um quadro de insuficiência respiratória".

"Chávez enfrenta complicações como consequência de uma infecção pulmonar grave", disse ele.

Aos 58 anos de idade, Chávez passou pela quarta cirurgia para tratamento de um câncer na região pélvica no último dia 11 de dezembro. O procedimento cirúrgico teria iniciado a atual infecção.

Reeleito em outubro passado, Chávez deveria assumir oficialmente seu novo mandato no próximo dia 10.

"Guerra psicológica" - O presidente venezuelano não tem sido visto em público desde a última cirurgia - o que deflagrou uma onda de especulações sobre seu real estado de saúde.

O ministro da Informação é um dos aliados políticos de Chávez que aconselhou a população da Venezuela a não acreditar no que chamou de "mentiras sobre sua saúde".

Ele disse à população que não se deixe levar pela suposta "guerra psicológica" travada pela mídia com "o objetivo de desestabilizar a república bolivariana".

O vice-presidente Nicolás Maduro e o chefe da Assembleia Nacional Diosdado Cabello são algumas das autoridades que visitaram Chávez nesta semana.

Maduro disse na quarta-feira que Chávez estava consciente e apertou sua mão com firmeza enquanto os dois discutiam política venezuelana.

Ele e Cabello retornaram para Caracas na quinta-feira e desmentiram uma cisão no governo socialista.

"Estamos mais unidos do que nunca", disse Maduro. "Nós juramos em frente ao comandante Chávez que estaremos unidos ao lado de nosso povo".

Dúvidas - Ativistas de oposição especularam sobre um suposto racha entre Maduro (o político apontado por Chávez como seu sucessor) e Cabello - a quem cabe, segundo a Constituição, assumir o poder no caso de uma "ausência absoluta" de Chávez.

Cabello afirmou que aqueles que estão espalhando rumores "terão que esperar dois mil anos para que isso (o racha) aconteça".

Ainda não está claro se Chávez conseguirá assumir oficialmente seu próximo mandato de seis anos no dia 10.

Cabello disse recentemente que a cerimônia poderia ser adiada. Mas, a oposição diz que isso seria inconstitucional.

Opositores solicitaram ainda que uma comissão independente seja enviada a Cuba para fazer um relatório sobre o real estado de saúde do presidente. 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.
Tudo o que sabemos sobre:
topchavezinsuficiência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.