Hugo Chávez vai à Rússia fechar compra de armamentos

Submarinos, tanques e helicópteros fazem parte do acordo; objetivo é "renovação do aparato militar"

08 de setembro de 2009 | 12h13

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, viaja nesta terça-feira, 8, à Rússia para acertar a compra de três submarinos, vários veículos blindados e tanques T-27 e dez helicópteros militares Mi, segundo informa a agência Interax, que cita fontes da indústria armamentista russa.

 

No começo de agosto, o venezuelano havia anunciado seus planos de reestruturar suas forças armadas, mas não citou valores das negociações. As conversas sobre a compra de novos equipamentos seguia em ritmo normal, mas se tornaram urgentes desde o polêmico tratado assinado entre a Colômbia e os EUA, que permite aos americanos usarem bases militares no país sul-americano.

 

De acordo com Chávez, sua intenção não é atacar a Colômbia nem qualquer outro país, mas "empreender uma necessária renovação em seu equipamento militar".

 

Chávez será recebido pelo presidente da Rússia, Dimitri Medveded, segundo o Kremlin. A Venezuela é um dos maiores parceiros russos na indústria bélica. Os países mantêm uma estreita cooperação militar. Somente entre 2005 e 2007, as nações assinaram acordos que somaram mais de US$ 4 bilhões, um deles para a compra de 100 mil fuzis Kalashnikov, arma de fabricação russa utilizada por guerrilhas e grupos extremistas de todo o mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.