Humala diz que, se necessário, sancionará irmão por reuniões na Rússia

Futuro presidente peruano enviou uma carta ao embaixador russo no Peru dizendo que seu irmão, Alexis Humala, não teve sua autorização para realizar encontros em seu nome

Efe,

11 de julho de 2011 | 00h10

LIMA - O presidente eleito do Peru, Ollanta Humala, assegurou no domingo, 10, que se for necessário não duvidará em sancionar seu irmão Alexis por causa de reuniões que manteve em seu nome com ministros e empresários russos.

 

Em suas primeiras declarações a respeito depois de saber das reuniões que Alexis Humala tinha mantido na Rússia, o próximo líder peruano lembrou que ele já enviou uma carta ao embaixador russo no Peru assinalando que seu irmão não teve sua autorização para realizar tais encontros.

 

Humala assumirá a Presidência do Peru no dia 28 de julho.

As declarações foram realizadas em um breve encontro com jornalistas na saída de sua casa em Lima, e onde também assinalou que o que neste momento preocupa sua equipe é "estabelecer bem o gabinete", assim como sua próxima "mensagem à nação".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.