Humala pede ajuda de arcebispo para mediar protesto no Peru

O presidente peruano, Ollanta Humala, propôs nesta sexta-feira que um ex-presidente da Conferência Episcopal local faça a mediação para a solução dos protestos contra a instalação de um grande projeto da mineradora norte-americana Newmont na região de Cajamarca, no norte do país.

Reuters

06 de julho de 2012 | 19h03

Essa é a primeira manifestação de Humala desde que cinco pessoas morreram e outras 30 ficaram feridas num confronto relacionado aos protestos, o que gerou uma pressão para que o presidente, prestes a completar um ano de mandato, faça mudanças em seu gabinete.

"Estamos buscando e não cessaremos de buscar os espaços de diálogo, e estamos por meio do ministro da Justiça propondo ao monsenhor (Miguel) Cabrejos que possa participar desse espaço de diálogo em Cajamarca, a fim de pôr panos quentes", disse Humala a uma TV local.

Cabrejos, arcebispo de Trujillo (norte), disse que aceitará a proposta e pediu calma aos manifestantes e às forças de segurança.

Os violentos confrontos com a polícia aconteceram na região de Cajamarca, onde moradores são contra a execução de um gigantesco projeto de mineração da norte-americana Newmont e que o governo considera importante para o desenvolvimento do país.

(Reportagem de Marco Aquino)

Tudo o que sabemos sobre:
PERUHUMALAMINEIROS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.