Incêndio em cidade chilena de Valparaíso entra no 3o dia

Focos de um incêndio voraz que se iniciou no fim de semana na cidade portuária chilena de Valparaíso estavam sendo combatidos nesta segunda-feira por milhares de bombeiros e também aviões, enquanto os desabrigados procuravam pertences no que restou de suas casas.

Reuters

14 de abril de 2014 | 19h09

Os trabalhos de contenção do fogo, que causou pelo menos 12 mortes e danificou mais de 2.200 residências na cidade, há uma década declarada Patrimônio da Humanidade, se complicaram por causa da mudança da direção do vento.

O governo da presidente socialista Michelle Bachelet declarou a região zona em estado de catástrofe, o que permite o envio das Forças Armadas para reforçar a segurança, bem como dispor dos recursos necessários para a situação de emergência e recuperação dos serviços de água e luz que foram afetados.

"Estamos diante da maior operação aérea para enfrentar um incêndio dessa envergadura... Colocaremos todos os recursos disponíveis para enfrentar essa tragédia", disse Bachelet, cujo governo antecipou cerca de 1 milhão de dólares para a prefeitura da cidade costeira.

Imagens de televisão mostravam grupos de resgate e voluntários ajudando a remover escombros e limpar áreas totalmente destruídas nas altas colinas da cidade rodeada por bosques, enquanto moradores temiam que o incêndio voltasse a ganhar força.

(Reportagem de Fabián Andrés Cambero)

Tudo o que sabemos sobre:
CHILEINCENDIOVALPARAISO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.