Indígenas retomam marcha por terras na Colômbia

Milhares de indígenas retomaram na quinta-feira uma marcha de protesto numa estrada do sudoeste da Colômbia, no mesmo dia em que Bogotá registrou cinco explosões durante manifestações de trabalhadores contra a política econômica. As autoridades disseram que artefatos de baixo poder destrutivo explodiram simultaneamente em várias zonas de Bogotá, e que um ônibus pegou fogo. Houve 11 feridos leves. A mobilização dos povos nativos foi retomada horas depois de Uribe admitir que um policial disparou nesta semana contra manifestantes indígenas que exigem títulos fundiários. Mas o presidente disse que não foi esse o motivo da morte de dois índios, e sim explosões de artefatos não-convencionais, similares aos usados por guerrilheiros de esquerda. Com seus trajes coloridos, laços e instrumentos típicos, os índios partiram de Santander de Quilichao (Departamento del Cauca) pela Rodovia Pan-Americana, que dá acesso ao sudoeste do país. Eles pretendem chegar na sexta-feira a Cali. Os líderes da manifestação insistem que os dois índios foram mortos pelos disparos de um policial, e que o diálogo com o governo deve acontecer em Cali, e não em Popayán, como propõe o popular Uribe. "O apelo que fazemos é que se ele tem vontade política com os povos indígenas e setores sociais, que se faça em Cali", disse Ayda Quilcué, conselheira do Movimento Indígena do Cauca. (Reportagem de Luis Jaime Acosta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.