Kevin Lamarque/Reuters
Kevin Lamarque/Reuters

Insulza se reúne com Hillary em meio a polêmica com Chávez

Venezuela anunciou saída de Comissão da OEA depois de criticar relatório sobre direitos humanos no país

estadao.com.br,

26 de fevereiro de 2010 | 17h36

O secretário geral da Organização dos Estados Americanos, José Miguel Insulza, se reúne nesta sexta-feira, 26, com a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, em meio a uma crescente polêmica após um relatório sobre direitos humanos na Venezuela, segundo a AFP.

 

Veja também:

linkGestão de Hugo Chávez está enfraquecida, dizem especialistas

 

A reunião antecede a primeira viagem da secretária a América Latina, que começará neste domingo.

 

Entre os temas que serão discutidos, estão o futuro da OEA, inclusive a próxima eleição para a presidência do organismo, prevista para 24 de março, de acordo com um porta-voz do Departamento de Estado.

 

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, chamou nesta quinta de "mentiroso e puro lixo" um relatório da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) sobre a Venezuela. Após as críticas, o presidente anunciou a saída de seu país da Comissão.

 

Em uma entrevista coletiva, Chávez disse que CIDH, que faz parte da Organização dos Estados Americanos (OEA), é uma máfia. "O que deveríamos fazer é nos preparar para denunciar o acordo no qual a Venezuela entrou, ou como se chama essa nefasta Comissão Interamericana de Direitos Humanos, e sairmos depois. Para quê? Não vale a pena, é uma máfia", disparou o venezuelano.

 

O documento de quase 300 páginas afirma que o Estado de direito na Venezuela foi prejudicado pela falta de separação dos poderes, e alerta sobre "sérias restrições" aos direitos humanos no país.

 

Insulza defendeu a discussão dos dados do relatório com a Venezuela, como outros países sobre os quais se emitiram informes fizeram, segundo o secretário.

 

"O governo da Venezuela não julgou conveniente até agora receber a visita da Comissão. Um diálogo direto seria a melhor maneira de esclarecer dúvidas e diferenças, afirmou Insulza.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.