Jornal afirma que há laços profundos entre Venezuela e Farc

'Wall Street Journal ' diz que EUA não descartam que provas encontradas no laptop de Reyes sejam verdadeiras

REUTERS

09 de maio de 2008 | 07h54

Arquivos encontrados nos laptops de Raúl Reyes, líder guerrilheiro morto em março no Equador, mostram que o governo do venezuelano Hugo Chávez tem fortes ligações com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), disse a edição do jornal Wall Street Journal desta sexta-feira, 9. A simpatia de Chávez pelas Farc já é bem conhecida, mas os arquivos demonstram também que a Venezuela ofereceu armas aos rebeldes, possivelmente granadas lançadas por foguetes e mísseis. O país também ofereceu às Farc o uso de um porto para receber carregamentos de armas, disse o jornal.   Veja também: Por dentro das Farc  Mapa da influência de Chávez na AL  Entenda a crise  Histórico dos conflitos armados na região   Chávez acusa a Colômbia de ter forjado os arquivos.  Bernardo Alvarez, embaixador da Venezuela nos Estados Unidos, deu uma entrevista ao jornal na quarta-feira, na qual disse que "eles (os arquivos) são falsos, uma tentativa de pôr o governo da Venezuela em descrédito". Mas o jornal citou uma importante autoridade dos Estados Unidos, que teria dito que "não há acordo completo entre a comunidade de inteligência sobre se esses arquivos são o que parecem ser". Os arquivos indicam que a Venezuela planejava um esquema de segurança em conjunto com as Farc e procurou treinamento básico em técnicas de guerrilha, disse o jornal, sugerindo que Chávez estava se preparando para uma possível invasão norte-americana da Venezuela. O jornal disse que as conclusões de Washington sobre os arquivos podem aumentar a pressão para que o país declare a Venezuela uma patrocinadora do terrorismo.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.