Jornal oficial de Cuba acusa Bush de financiar oposição

'Granma' diz que presidente dos EUA financia oposição na ilha, formada por 'aves de rapina'

Ansa,

12 de maio de 2008 | 16h37

O jornal oficial cubano Granma acusou nesta segunda-feira, 12, o presidente norte-americano, George W. Bush, de financiar a oposição em Cuba, formada, segundo o periódico, por "aves de rapina". O jornal voltou a fustigar Las Damas de Blanco, grupo formado por esposas e familiares de detentos que, segundo elas, são presos políticos. Veja também:Filha de Raúl Castro defende fim de restrições a viagensEUA exigem que Cuba liberte todos os presos políticos No artigo, intitulado "Bush al teléfono", o jornal lembrou uma ligação de 45 minutos feita pelo presidente a três opositores cubanos quando estavam, na semana passada, na sede diplomática norte-americana em Havana. "Para nós, foi muito boa essa conversa que tivemos com o senhor presidente Bush. Nos felicitou e nos disse que somos muito valentes por conversar com ele", disse uma Dama de Blanco não identificada, citada pelo Granma. "Agradecemos a ajuda que nos dão os exilados cubanos, mas não chega até nós", disse uma das mulheres, ainda segundo o jornal. Bush "não ligou a nenhuma das mães ou viúvas dos mais de 4 mil soldados norte-americanos mortos nas guerras do Iraque ou Afeganistão" mas "se comunicou" com "o estado-maior da subversão" em Cuba, escreveu o Granma. Esta é a segunda vez nos últimos três dias que a imprensa estatal cubana fustiga os vínculos entre opositores e o Escritório de Interesses dos Estados Unidos em Havana, e nega a conversa citada por Bush, de 6 de maio. "Do outro lado do telefone estavam alguns mercenários, hóspedes habituais do sargento imperial Michael Parmly (chefe do escritório) e outros funcionários da diplomacia da subversão", conclui.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaHavanaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.