Jornalista acusa Fujimori de tê-lo sequestrado no Peru

Num dos processos por abuso dos direitoshumanos nos quais figura como réu o ex-presidente peruanoAlberto Fujimori, um reconhecido jornalista do país acusounesta sexta-feira o ex-mandatário de tê-lo sequestrado. Fujimori, que governou o Peru de 1990 a 2000 e que agorapode ser condenado a até 30 anos de prisão, enfrentou aprimeira audiência de 2008, na qual testemunhou o jornalistaGustavo Gorriti, uma das peças centrais da promotoria nasacusações feitas contra o réu. Gorriti foi sequestrado depois do "autogolpe" de 5 de abrilde 1992, quando trabalhava como correspondente do jornal ElPaís, da Espanha. "Ele possuía todos os poderes estatais concentrados em suasmãos", afirmou Gorriti durante a audiência. Segundo o jornalista, o ex-mandatário sabia do sequestrodele, o qual Gorriti descreveu como uma vingança do governodevido às investigações nas quais se acusava VladimiroMontesinos, então chefe do serviço secreto do país e assessorde Fujimori, de corrupção e de manter vínculos com onarcotráfico. Para justificar suas alegações, Gorriti citou a declaraçãoque obteve de um ex-chefe das Forças Armadas segundo o qual oex-presidente estava ciente do sequestro. Citou ainda a atitudede Fujimori em uma entrevista coletiva realizada logo depois dalibertação dele e na qual o jornalista confrontou oentrevistado a respeito do sequestro. "Fujimori ficou totalmente imóvel no momento em que fizessas perguntas e deu a impressão de que estava ciente detudo", afirmou Gorriti, aludindo a comentários feitos peloex-presidente naquela entrevista. "Essa é uma das razões que me permitiram chegar a essaconclusão sem medo de errar", acrescentou. Em outro momento da audiência, o jornalista lembrou que,após sua vitória nas urnas, Fujimori negou por várias vezesdiante dos meios de comunicação que Montesinos fosse uma pessoaimportante dentro do governo. O ex-presidente já admitiu em audiências anteriores queMontesinos desempenhou um papel fundamental na luta contra osguerrilheiros e que era um dos assessores mais influentesquando se tratava de tomar decisões sobre a política desegurança do país. Fujimori, que chegou em setembro ao Peru depois de umprocesso judicial no Chile por meio do qual se aprovou aextradição dele, é alvo de várias acusações, entre as quais ade sequestrar opositores ao governo para mantê-los presosdentro de instalações do Exército. (Reportagem de Jean Luis Arce)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.