Jornalistas criam união regional voltada ao meio ambiente

A UPA-América Latina foi formada na 2ª Oficina de Jornalismo Ambiental da Fundação Ibero-americano

EFE,

27 de outubro de 2007 | 04h17

Cerca de 15 jornalistas ambientais de América Latina e Espanha reunidos na cidade colombiana de Cartagena pela Fundação Novo Jornalismo Ibero-americano (FNPI) criaram nesta sexta-feira, 26, uma união regional, disseram os promotores da iniciativa. A chamada União de Jornalistas Ambientais da América Latina (UPA-América Latina) foi formada na jornada de encerramento da 2ª Oficina de Jornalismo Ambiental da FNPI, que no dia 22 de outubro abriu cinco dias de trabalho no balneário caribenho. O encontro, que seguiu ao realizado no ano passado em Caracas, reuniu jornalistas de Argentina, Chile, Colômbia, Equador, El Salvador, Guatemala, México, Venezuela e Espanha. Os responsáveis da iniciativa disseram que a UPA-América Latina impulsionará a editoria de meio ambiente e a especialização de novos jornalistas, e favorecerá a troca de experiências e a defesa dos profissionais da imprensa no exercício de sua atividade. "A intenção é criar e consolidar uma rede de informadores ambientais melhor preparados, convencidos de que um jornalismo ambiental especializado e honesto permitirá um maior conhecimento destas questões por uma sociedade cada vez mais preocupada com os temas ambientais e em territórios, ameaçados, que abrigam a maior biodiversidade do planeta", afirmaram os jornalistas. A oficina da FNPI, fundada e presidida pelo prêmio Nobel Colombiano Gabriel García Márquez, recebeu o apoio da Corporação Andina de Fomento (CAF), da ONG The Nature Conservancy, da Fundemas e da Fundação Carolina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.