Juiz dos EUA confirma extradição de Noriega para a França

Noriega, de 73 anos, foi condenado depois de ter sido capturado numa invasão do Panamá pelos EUA

Associated Press,

07 de setembro de 2007 | 15h44

Um juiz federal de Miami voltou a decidir contra ex-ditador panamenho Manuel Noriega nesta sexta-feira, 6, concluindo que  ele pode ser extraditado para a França, a fim de responder a acusações de lavagem de dinheiro.   O juiz William Hoeveler também aboliu a suspensão de sua primeira decisão neste sentido.   Exatamente quando Noriega poderá deixar os EUA ainda é incerto, mesmo com sua sentença por tráfico de drogas terminando neste domingo. Autoridades americanas dizem que ele continuará detido numa prisão de segurança mínima até que a ordem de extradição seja finalizada pelo Departamento de Estado. Os advogados do ex-ditador também podem apelar a outras instâncias judiciais.   Noriega, de 73 anos, foi condenado em 1992 em um julgamento presidido por Hoeveler, que o declarou prisioneiro de guerra, por conta de sua captura por tropas americanas em uma invasão do Panamá pelos EUA, em 1989. Na França, ele é acusado de lavar mais de US$ 3 milhões de lucro do narcotráfico.   No Panamá, Noriega já foi condenado, à revelia, por desfalque, corrupção e assassinato político. Os advogados do ex-ditador dizem que ele deseja voltar a seu país para se defender nesses casos.

Tudo o que sabemos sobre:
panamánoriegajustiçaeuafrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.