Juiz ordena prisão provisória de chefes paramilitares nos EUA

Sete colombianos, extraditados por narcotráfico, serão detidos enquanto esperam o julgamento

Efe,

21 de maio de 2008 | 16h19

O juiz Alan Kay ordenou prisão provisória sem fiança para sete ex-chefes paramilitares das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC) extraditados na semana passada para a capital americana por delitos de narcotráfico, à espera de seu julgamento.  Veja também:Chefes paramilitares extraditados se dizem inocentes nos EUA Os ex-líderes das AUC, entre eles seu último chefe, Salvatore Mancuso, vestidos com a roupa laranja típica dos presos nos EUA e os pés amarrados, escutaram indiferentes à sentença do juiz Kay. Na semana passada, oito dos quatorze ex-chefes paramilitares extraditados pela Colômbia aos Estados Unidos, entre eles Mancuso se declararam nesta quinta-feira, 15, inocentes de tráfico de drogas em seu primeiro comparecimento perante Kay. A Promotoria os acusa de conspirar para produzir e distribuir cocaína com a intenção de importar a droga aos EUA, e de ajudar e apoiar a conspiração. Além disso, pesa sobre eles uma ordem de apreensão de seus bens.

Tudo o que sabemos sobre:
paramilitaresColômbiaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.