Juíza argentina ordena prisão de empresário venezuelano

Guido Antonini Wilson tentou entrar na Argentina portando ma mala com quase US$ 800 mil não declarados

Efe,

16 de agosto de 2007 | 21h14

A juíza argentina Marta Novatt ordenou nesta quinta-feira, 16, a captura internacional do empresário venezuelano Guido Antonini Wilson, o pivô do caso batizado pela imprensa do país como "escândalo da maleta".  Wilson tentou entrar na Argentina no último sábado, 4, portando ma mala com quase US$ 800 mil não declarados. O caso veio à tona em meio à campanha para a presidência da candidata governista e primeira-dama argentina, Cristina Fernandez de Kirchner.  A oposição argentina afirma que o dinheiro seria usado para financiar campanhas de políticos próximos ao presidente Néstor Kirchner.  A ordem de captura foi solicitada pela promotora María Luz Rivas Diez, a cargo da investigação do caso e que acusou o empresário de "contrabando em grau de tentativa". Os fatos começaram no dia 4 de agosto, quando o empresário, com US$ 790 mil em uma mala, chegou a Buenos Aires em um avião fretado pela estatal argentina Enarsa e no qual viajavam funcionários da empresa e da Petróleos de Venezuela SA (PDVSA). O Guido Antonini Wilson, de quem só foi cobrada uma multa por "infração às normas alfandegárias", está em Miami, onde mora, de acordo com diferentes fontes.

Tudo o que sabemos sobre:
escândalo da malaArgentinaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.